Dias melhores virão

O início de março traz consigo o aquecimento da economia brasileira, que promete um bom desempenho no setor de seguros em 2013

No Brasil, o ano só começa depois do carnaval. Este velho dito popular é verdadeiro em muitos casos. Mais do que isso, é um conceito incutido na mentalidade de muitos brasileiros. Por isso, vamos aproveitar o início de março para fazer um balanço das expectativas para o setor de seguro.

Como já é notório, o desempenho deste mercado está diretamente ligado ao desempenho da economia brasileira, especialmente ao consumo que engloba os seguros de vida, de saúde e odontológicos. Esses são os mais procurados quando o nível de emprego é maior – caso atual do Brasil, que teve em 2012 a menor taxa de desemprego registrada na sua história. Além disso, os seguros habitacionais e de automóveis, em particular, possuem clara relação com a compra e venda desses itens.

No último relatório Focus, do Banco Central do Brasil, as projeções para 2013 são de um crescimento do PIB de 3,2%, perspectiva que denota o reaquecimento da economia. O rendimento médio do trabalhador deve continuar aumentando, ainda que abaixo do ritmo em que cresceu nos últimos anos. Além disso, o desemprego deve manter a média de 5,5%, a mesma do ano passado, e impulsionar o consumo das famílias.

Finalmente, teremos o impacto da queda de juros – a SELIC começou 2011 em 11% e fechou 2012 em 7,25%, uma redução substancial da nossa taxa básica. Considerando o tempo que a economia leva para responder a esse estímulo monetário, certamente o efeito sobre o consumo será mais forte neste ano do que no passado. Assim, com forte estímulo financeiro, pleno emprego e renda de trabalho aumentando acima da inflação, o que, de quebra, gera um efeito de confiança para o trabalhador, é esperado que o consumo das famílias apresente um bom desempenho, algo próximo de 8% ou 9%, mesmo com o cenário de crise externa.

Em suma, o setor de seguros, que tem crescido historicamente 3% acima do crescimento do PIB, já responde por 5,7% da nossa economia e deve continuar aumentando essa participação. Além dos setores mais tradicionais destacados, há mercados novos e incipientes, como o de microsseguros, com potencial global estimado em 3 bilhões de pessoas, mas com apenas 500 milhões contratados atualmente. Isso sem falar nos seguros garantia e rural, que apresentam boas perspectivas a médio e longo prazo. Outra questão que influenciará diretamente na comercialização de apólices será a longevidade do povo brasileiro, cuja expectativa de vida deve atingir 80 anos até 2040, fazendo-se necessário pensar na estabilidade para pessoas com idade mais avançada, com planos complementares de previdência e saúde.

Marco Bergamini
Rodrigo Zevzikovas

Quer fazer um seguro como este?

entre em contato pelo nosso e-mail w4@w4seguros.com.br ou venha tomar um cafezinho com a gente na Rua Herval, 712 l cep: 03062-000 – pabx: 55 11 2579-5422 | fax: 55 11 2579-5417

De Segunda a Sexta-feira das 9:30 às 17:45hs.
Horário de Almoço das 12hs às 13hs.

Quer reproduzir este artigo?

Todas as informações deste site são protegidas por leis de direitos autorais, no entanto você pode reproduzir o(s) artigo(s) com as seguintes condições:

1. Você deve reproduzir o artigo inteiro e inalterado, incluindo o(s) nome(s) do(s) autor(es), e todas as suas referências.
2. Você deve indicar claramente que o artigo é de autoria de  “w4seguros.com.br
3. Você deve incluir o link de redirecionamento para o artigo reproduzido.

 

No comments yet

Debes Logado Deixar un comentário



Tweets

    Todos os direitos reservado a W4 Seguros - Rua Herval, 712 l cep: 03062-000 - pabx: 55 11 2579-5422 | fax: 55 11 2579-5417